Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, o árbitro da final do Campeonato Paulista, voltará a apitar na próxima terça-feira. O retorno acontece mais de um mês depois de ele ser acusado pelo Palmeiras de aceitar interferência externa e voltar atrás no pênalti marcado a favor do time alviverde no Dérbi de 8 de abril – que definiu o Corinthians como campeão estadual.

O árbitro estará em Criciúma x Juventude, às 21h30 de terça, dia 15 de maio, no estádio Heriberto Hülse, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Nos 37 dias entre uma partida e outra, o juiz lidou com ameaças de torcedores – que descobriram o telefone de restaurantes e choperias que pertencem a Marcelo e passaram a telefonar para os locais. Funcionários ficaram assustados, e o árbitro procurou a polícia para tentar identificar os autores das ameaças. A investigação está em andamento.

Marcelo, procurado pela reportagem, não quis dar declarações sobre o período afastado dos campos. O árbitro não recebeu o afastamento como sinal de punição. Tratou o período como preservação, algo que ele mesmo diz ter sugerido a seus superiores enquanto a Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo não tomasse uma decisão sobre o pedido do Palmeiras de impugnação da partida – alegando que Marcelo havia recebido informações externas sobre o lance do pênalti.

No último dia 4, o presidente do TJD, Antonio Olim, negou o pedido do Palmeiras, sob o argumento de que o clube não cumpriu os prazos necessários para protocolar o pedido. A diretoria alviverde recolheu imagens que, segundo ela, provam interferência externa e pretende recorrer ao STJD, o tribunal nacional.

Antes disso, Marcelo foi ao tribunal explicar os acontecimentos do lance polêmico – o porquê de ter dado o pênalti e voltado atrás. Ele negou interferência externa. Disse que seguiu orientação do quarto árbitro, Adriano de Assis Miranda, para mudar de entendimento e cancelar o pênalti.

– Vejo ele (Ralf, do Corinthians) chutar o adversário (Dudu). O quarto árbitro vê, na sequência, ele tocar a bola – disse Marcelo ao TJD em 17 de abril.

Fonte: GloboEsporte

Responda