Os discursos são simples e idênticos: o importante é ajudar a Seleção. Disputando uma vaga na equipe titular, Gabriel Jesus e Roberto Firmino tiveram chances de provar seu valor neste domingo no amistoso contra a Croácia. Um começou como capitão e foi mais ativo na marcação. O outro entrou na segunda etapa e marcou o gol que selou a vitória por 2 a 0. Dadas as limitações de cada formação do Brasil em campo, os dois saíram-se bem e aumentaram ainda mais o nível deste duelo.

Gravado em fevereiro de 2017 no estúdio mineiro Fazenda das Macieiras com recursos de campanha de financiamento coletivo e sob direção musical de Thiago Amud, autor dos arranjos, o álbum Mundo afora – Meada chega ao mercado fonográfico neste mês de junho de 2018, sucedendo o bem-recebido Brigador – Ilessi canta Pedro Amorim e Paulo César Pinheiro (2009) na discografia de Ilessi.

Precedido pelo lançamento do clipe da música Marginal de 381, de autoria do compositor mineiro Paulo Rocha, o disco sai pela nova gravadora Rocinante. A música-título Mundo afora é composição da lavra de Marcelo Noronha e Vidal Assis. Papoula brava é de Thiago Amud, que pôs voz e violão na gravação da música (Amud atua como violonista de várias faixas do disco).

Além de ter criado a arte do CD com Júlio Abreu, Leonora Weissman faz dueto com Ilessi em O amor me recomeça (Milena Tiburcio e Caio Tiburcio). Já o mencionado Paulo Rocha participa de Miragem (Gonzaga da Silva) enquanto Novelli e Nelson Ângelo puxam com Ilessi o fio melódico de Meada (Marcelo Fedrá e Thiago Amud).

“Minha ideia foi fazer um disco que apresentasse músicas de compositores da minha geração (ou pouco conhecidos, como é o caso do meu pai), de todas as regiões do Brasil. É um disco-manifesto, que mostra o quanto a canção brasileira continua viva, rica e original. A diversidade presente no repertório também se mostra na instrumentação, com a presença de instrumentos pouco usuais na música brasileira, como os indianos kanjira, pakawaj e morchang (berimbau de boca), ou os latinoamericanos alegre, chamador e tambora. Quis com esse disco mostrar o que há de brasileiro nas coisas do mundo, e o mundo que há nas coisas do Brasil”, conceitua Ilessi.

O álbum Mundo afora – Meada é o primeiro título de projeto duplo que prevê, para data ainda incerta, a edição de um segundo álbum, Mundo afora – Do caminhar , cujo repertório incluirá músicas de compositores do norte e do sul do Brasil.

Ilessi tem ainda um terceiro disco em vista. Trata-se de álbum dividido com o violonista Diogo Sili e com repertório inteiramente dedicado à obra do compositor Alexandre Manuel Thiago de Mello (1952 – 2004), conhecido pelo nome artístico de Manduka. A ideia é registrar em estúdio o tributo a Manduka que já foi feito por Ilessi em show com Sili.

Fonte: G1

Responda