Postada nas redes sociais do Casuarina, a foto acima flagra Leci Brandão no estúdio da gravadora Biscoito Fino, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), durante o registro da participação da cantora carioca no álbum de músicas inéditas que o grupo conterrâneo concluiu neste mês de abril de 2018.

Ao pôr voz no samba Herança de partideiro (Hamilton Fofão e Ivanir Ramos), Leci completou o time de convidados deste disco em que o Casuarina também canta com Martinho da Vila – em Tempo bom (Ivor Lancellotti e Roque Ferreira) – e com o rapper sambista Criolo, presente em Quero mais um samba (Rogério Bicudo e Raul Sampaio).

Há também a participação do cantor e compositor pernambucano Geraldo Azevedo na música Embira, outra composição inédita do álbum intitulado + 100, o primeiro gravado pelo Casuarina após a saída do vocalista João Cavalcanti do grupo, em novembro de 2017.

Nesse álbum + 100, cujo título alude ao fato de o samba já estar entrando no segundo século de vida, Gabriel Azevedo (pandeiro e voz), Daniel Montes (violão de sete cordas e vocais), João Fernando (bandolim e vocais) e Rafael Freire (cavaquinho e vocais) parecem apostar acertadamente em repertório alheio e em convidados de peso.

No caso de Leci Brandão, cabe lembrar que Herança de partideiro é a segunda música gravada pela cantora com o Casuarina. No CD e DVD Cidade do samba (2007), lançados há onze anos, Leci e o grupo se uniram em regravação do samba-enredo Aquarela brasileira (Silas de Oliveira), composto em 1963 para o desfile da escola de samba Império Serrano no Carnaval de 1964.

Fonte: G1

Responda