O passaporte não está carimbado ainda, mas a figurinha entrou para a história. Um dos 18 jogadores brasileiros do álbum oficial da Copa, o meia-atacante Giuliano ficou fora da última convocação da Seleção antes do Mundial. Mas a ausência no teste derradeiro para definir o grupo que vai à Rússia não o abalou. Aos 27 anos, escolhido por Tite quando atingiu a maioridade e saiu do Paraná para o Internacional, então comandado pelo treinador, o atual artilheiro na temporada do Fenerbahçe, da Turquia, com 14 gols e 26 partidas, mostrou muita confiança e tranquilidade sobre suas chances de aparecer na lista final de maio.

– Nas vezes que pude participar na Seleção, eu dei o meu melhor. Acredito que tive bom desempenho. Minha imagem ficou muito boa para o Tite, para a imprensa. E pude ajudar a Seleção de alguma forma. Isso me deixa muito tranquilo.

O Tite me conhece, sabe das minhas características, sabe no que posso ajudar a Seleção

E no que exatamente Giuliano pode ajudar o Brasil na Copa? Qual seria seu principal trunfo para ser convocado? Com a palavra, o próprio:

Eu sou um jogador muito versátil, posso atuar em várias áreas do campo, sem precisar trocar de jogador

– Eu consigo atuar como um segundo volante, como terceiro homem de meio, como atuo com Tite, saindo de trás, com liberdade para chegar à área, de criar. Eu gosto muito de acelerar o jogo, de passes curtos, passes rápidos. Posso atuar também pelo lado direito, lado esquerdo do campo, como um jogador que flutua nessa área. Não sou um jogador de tanta velocidade pelos lados, mas um jogador que consegue flutuar, e você ganha um homem no meio de campo. Essas são as características que eu tenho e posso acrecentar à Seleção. A Seleção já tem grandes jogadores, mas, o fato de ter todas essas características juntas é algo positivo para mim.

Em ano de eleições no Brasil, dá até para brincar sobre as coincidências do discurso de Giuliano com o de um candidato a cargo público. O popular santinho, no caso, a figurinha do álbum, ele tem pronto.

– Se fosse assim, poderia ter sido uma campanha. Vou mandar para o Tite, então, depois, para ver se ele se convence também – disse, rindo, Giuliano.

Um pouco mais sério, o jogador lembrou de sua relação de longa data com Tite, elogiando muito o chefe na Seleção.

Fonte: GloboEsporte

Responda