Quis o destino que a noite mais feliz de Éverton Ribeiro com a camisa do Flamengo viesse em um momento em que as emoções fora de campo estão à flor da pele. Os dois belos gols sobre o Emelec, que classificaram o Flamengo às oitavas de final da Libertadores, premiaram um pai que precisou – e conseguiu – dividir a mente na chegada de um bebê prematuro com o momento chave da equipe que defende.

Augusto chegou antes da hora. A previsão era de que o filho do camisa 7 nascesse no meio de junho, durante a parada do futebol brasileiro para a Copa do Mundo. No entanto, a esposa Marília deu à luz na última sexta-feira. Desde então, o pequeno Guto está na UTI neonatal. Procedimento normal nessas situações.

Éverton e a esposa preferiram não alardear e só divulgaram o nascimento para parentes e amigos próximos. Há duas semanas, desde que Marília foi internada, o jogador tem dormido várias noites ao lado dela no hospital. As famílias de ambos estão no Rio para suporte.

Um novo Éverton

O nascimento de Augusto coincide com o renascimento de Everton Ribeiro. Sem dúvida, ele vive seu melhor momento desde que chegou ao Flamengo, há quase um ano. Primeiro vieram bons jogos, depois a regularidade, em seguida o golaço contra o Inter… Mas foi a noite de gala desta quarta-feira, com dois belos gols que colocaram o clube nas oitavas da Libertadores após oito anos, seu momento de maior protagonismo com a camisa 7 rubro-negra.

– Foi uma noite inesquecível, com meu filho recém-nascido. Ele (Augusto) veio um pouco antes, numa hora que não esperávamos, mas está indo bem e estamos conseguindo vê-lo. Foi um jogo para coroar esse momento que vivo. A equipe se doou dentro de campo. Foi com a cara do Flamengo. Passamos sufoco, mas conseguimos a vitória, que é o mais importante

A história recente do Flamengo em Libertadores eleva os dois gols da noite desta quarta-feira para outro patamar. Nas últimas três edições que disputou (2012,2014 e 2017), o time foi eliminado de forma frustrante na fase de grupos. A vitória sobre o Emelec trouxe a vaga e retirou um enorme peso das costas deste grupo.

Há menos de um mês, no jogo anterior do time pela Libertadores, contra o Santa Fe, o camisa 7 foi colocado no banco. Sequer entrou no decorrer do jogo. Barbieri optou por uma formação com dois volantes. Algo que nitidamente não funcionou.

Ao voltar para o time, na vitória por 3 a 0 diante do Ceará, Éverton Ribeiro voltou a se firmar entre os titulares. Vive agora seu momento de maior protagonismo e melhor futebol desde que chegou ao clube, cercado de expectativa.

– Acho que sim (melhor momento no Flamengo). A equipe está arrumada, coletivamente está jogando bem. Meu crescimento vem pelo desempenho time. Todos mais próximos em campo. Isso ajuda a aparecer o individual.

Fonte: GloboEsporte

Responda