O Corinthians fechou o primeiro trimestre de 2018 no vermelho. O balancete patrimonial de março divulgado nesta terça-feira aponta um déficit de R$ 2,6 milhões.

O resultado se deve principalmente pelos gastos com o clube social, que teve resultado negativo de R$ 8,5 milhões. Já o futebol ficou no azul, turbinado pelos R$ 38,5 milhões faturados com vendas de jogadores. A tendência é que esse número aumente no demonstrativo de abril, já que o Timão ganhou cerca de R$ 13,8 milhões pela venda de Maycon ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia.

– Ainda estamos em busca de um equilíbrio econômico e financeiro. Neste primeiro trimestre tivemos o resultado positivo da venda do Jô, mas ainda mas ainda não conseguirmos transformar o déficit em superávit – comentou o gerente financeiro do clube, Wesley Melo.

Até março, o Timão também faturou R$ 51 milhões com direitos de transmissão de TV, R$ 6,6 milhões com patrocínios e mais R$ 2,4 milhões com o programa Fiel Torcedor, premiações e outras receitas.

Para honrar compromissos, o Timão teve de recorrer a empréstimos e fazer compras parceladas, aumentando o seu endividamento em 6%, de R$ 448,4 milhões para R$ 475,9 milhões.

O clube de Parque São Jorge tenta reduzir despesas e aumentar receitas. Neste sentido, uma das possibilidades estudadas é a de corte de funcionários.

A partir de agora o Corinthians irá divulgar os balancetes financeiros mensais, como forma de dar mais transparência à gestão do clube. A medida foi uma promessa de campanha do presidente Andrés Sanchez.

Fonte: GloboEsporte

Responda