A diretora e a vice-diretora de uma escola de Salto de Pirapora (SP), que foram presas no início do ano após serem flagradas queimando livros didáticos e documentos na quadra esportiva, estão afastadas dos cargos da escola estadual Anna Cuevas Guimarães.

De acordo com a Secretaria da Educação do Estado, as funcionárias foram afastadas por conta da repercussão do caso, mas tinham retornado às funções normalmente.

Entretanto, por telefone, funcionários da escola – que preferiram não se identificar – informaram ao G1 que as mulheres continuam afastadas.

O G1 apurou também que elas alegaram problemas psicológicos para permanecerem longe das atividades que exerciam.

Durante depoimento à Polícia Civil, a diretora afirmou conhecer o procedimento indicado para descate de material, “mas alegou que era muito complicado”, explica o delegado Gilberto Montenegro, responsável pelo caso.

No inquérito, consta que houve crime de incêndio em prédio público, dano qualificado e inutilização de documentos públicos, segundo a Polícia Civil.

Ao G1, o delegado disse que o inquérito foi encaminhado ao fórum e aguarda complementação de um dos laudos para a denúncia ser feita. O prazo é de aproximadamente 15 dias para o documento ser emitido.

Fonte: G1

Responda