Rapper paulista nascido em Guarulhos (SP), Edgar Pereira da Silva já está em cena há cinco anos, tendo lançado EP, álbum e dois discos apresentados no YouTube como se fossem curta-metragens. Mas nunca ganhou tanta visibilidade fora do universo do hip hop como nos últimos dois meses. É que Edgar – como o cantor e compositor é conhecido artisticamente – reforça o discurso contundente do recém-lançado 33º álbum de Elza Soares, Deus é mulher, no rap que escreveu para a faixa Exu nas escolas, assinada por Edgar em parceria com Kiko Dinucci.

No rastro dessa visibilidade, o artista anuncia o lançamento de álbum produzido por Pupillo Oliveira. Edgar assinou contrato com a Deck – gravadora carioca que distribui o disco de Elza – para editar no segundo semestre o disco que prepara com Pupillo desde 2016. Gravado com a participação da cantora Céu, o álbum se chama Ultrassom.

O primeiro single, Plástico, acaba de ser lançado nas plataformas digitais, apresentando rap de batida eletrônica (inspirada pela marcação usual de bateria da década de 1980) sobre a qual Edgar discursa contra a poluição do meio ambiente, projetando futuro sombrio para as crianças que crescerão em mundo cada vez mais contaminado por resíduos industriais.

Plástico é composição assinada por Edgar em parceria com Maurício Fleury e o produtor Pupillo. “Estamos sendo bombardeados por esse material, o plástico. A letra desenha um cenário de um futuro lindo, mas contaminado. O futuro é uma criança com medo de nós”, sentencia o rapper emergente.

Fonte: G1

Responda