O cantor Gilberto Gil elogiou e achou “contundente” a versão de Marcelo Adnet para a música “Realce”. Exibida no programa “Tá no ar: A TV na TV” desta terça-feira (10), a paródia ganhou o nome de “(Não seja) Reaça”.

Os versos atacam, por exemplo, apoiadores da ditadura, do movimento Escola Sem Partido e críticos da performance realizada no ano passado pelo artista Wagner Schwartz no Museu de Arte Modern (MAM), em São Paulo, na qual ele estava nu e teve o pé tocado por uma criança.

Veja o clipe e a letra de ‘(Não seja) Reaça’, do ‘Tá no ar’.

“Contundente”, escreveu Gil no Twitter nesta quinta-feira (12), em post no qual chama Adnet de “querido”. “Fui surpreendido como todos vocês quando assisti.” Ele também compartilhou o vídeo da faixa.

No clipe de “Reaça”, a faixa é creditada à fictícia Banda Cheiro de Retrô e faz parte de um álbum chamado “Raça Humana”, lançado pela gravadora Sou Livre.

A letra da paródia tem versos como:

“Como é que pode / Quer que a ditadura volte / Mas decerto se arrependerá / Vai ter censura / Até no seu textão do face / E você mesmo pode se ferrar / (…) / Vê um corpo desnudo / E acha um insulto / Para a família brasileira / Reaça / Não seja reaça / Reaça / Não seja reaça / Não faz sentido / Ter escola sem partido”.

Já a letra original de “Realce” tem trechos como:

“Realce, realce / Quanto mais purpurina melhor / Realce, realce / Com a cor-do-veludo, com amor / Com tudo de real teor de beleza / (…) / Não se impaciente / O que a gente sente, sente / Ainda que não se tente afetará / O afeto é fogo / E o modo do fogo é quente / E de repente a gente queimará”.

Fonte: G1

Responda