“Não é o momento para mudar”, disse Nasser al-Khelaïfi, presidente do PSG, após a eliminação para o Real Madrid na Liga dos Campeões. Mas em maio será. O jornal “L’Equipe” publica, em sua edição desta quinta-feira, um extenso material sobre revolução que a diretoria da equipe parisiense planeja promover a partir da próxima temporada. O time deve trocar o treinador e mudar várias peças no elenco. Para substituir Unai Emery, o diário cita o nome de dez técnicos, mas há um favorito: Antonio Conte.

O italiano, que tem contrato com o Chelsea até junho de 2019, é especulado no PSG desde o ano passado. Após a derrota para o Real Madrid, o jornal “Le Parisien” também publicou que Conte estaria na mira do clube francês. Segundo o “L’Equipe”, o treinador não deve ficar para o seu terceiro ano nos Blues, onde sofre com questionamento interno.

A sabedoria tática do ex-treinador de Juventus e Itália é vista como um trunfo. No entanto, parte da direção do Paris tem resistência com a personalidade forte de Conte. O receio é de possíveis embates com as principais estrelas da equipe, em especial com Neymar.

O diário esportivo francês garante que o PSG havia decidido pela não renovação de contrato com Unai Emery antes mesmo da queda para o Real Madrid. Seu vínculo atual se encerra no fim da atual temporada e havia opção de extensão caso a equipe atingisse a semifinal da Liga dos Campeões. No entanto, o clube parisiense não iria seguir com o espanhol. Além de Conte, o “L’Equipe” cita nome de outros nove treinadores:

Mauricio Pochettino: seria o segundo mais contato, depois do italiano do Chelsea. É bem avaliado por Nasser al-Khelaïfi, mas tem contrato com o Tottenham até 2021.
Carlo Ancelotti: treinou o PSG do início de 2012 até a metade de 2013 e deixou a equipe porque, segundo o “L’Equipe”, tinha má relação com o brasileiro Leonardo, à época diretor esportivo do time. No entanto, ainda é bem visto. Em setembro, o treinador italiano teve longa conversa com Nasser al-Khelaïfi na vitória do PSG sobre o Bayern, pela fase de grupos da Liga dos Campeões.
Massimiliano Allegri: tem contrato com a Juventus até 2020.
Luis Enrique: está livre no mercado, não é unanimidade no PSG, mas o fato de ter dirigido Neymar por três temporadas é encarado com bons olhos.
Roberto Mancini: o italiano deve deixar o Zenit no fim da temporada e é uma das opções.
Diego Simeone: foi sondado por representantes do PSG no passado e, segundo o “L’Equipe” poderia ser seduzido por um projeto ambicioso do Paris.
André Villas-Boas: o português, de 40 anos, passou por Porto, Chelsea e Tottenham e estava no Shanghai SIPG. Está sem clube e tem boa relação com o diretor Antero Henrique.
Paulo Fonseca: português, comandante do Shakhtar Donetsk, também trabalhou com Antero Henrique no Porto.
Leonardo Jardim: outro português, foi destaque no Monaco em 2016/17.

Revolução no elenco
A mudança não acontecerá apenas no comando. O jornal também escreve que o PSG pretende fazer várias mudanças no elenco, com contratações e vendas. O Fair Play Financeiro da Uefa é uma preocupação. O clube deixou de ganhar 13 milhões de euros (R$ 50 milhões), no mínimo, com a eliminação precoce na Liga dos Campeões. E ainda precisa faturar mais para não quebrar as regras.

Um novo goleiro é uma das prioridades. Aréola e Trapp não passam confiança ao PSG, segundo o “L’Equipe”. Para o meio-campo, o brasileiro Fabinho, do Monaco, foi citado novamente como um alvo do time parisiense. Confira outros possíveis nomes.

Goleiro: Donnarumma (Milan), Oblak (Atlético de Madrid), De Gea (Manchester United) e Courtois (Chelsea) foram citados pelo “L’Equipe”. O jovem italiano é o favorito.
Laterais: Berchiche é visto como “muito limitado”, e Kurzawa não evoluiu como imaginado. Daniel Alves tem limitações defensivas, que “não foram ignoradas pelos líderes do time”, segundo publicou o “L’Equipe”. Alex Sandro, brasileiro da Juventus, e o inglês Ryan Sessegnon, jovem de 17 anos do Fulham, são nomes citados.
Meio-campo: o ciclo de Thiago Motta está perto do fim. Fabinho, do Monaco, ainda está no radar do PSG, que também sonha com N’Golo Kanté, do Chelsea.
Ataque: o PSG estaria à procura de um camisa 9. Cavani estaria muito sozinho, como único centroavante do time. Qualquer movimento depende de eventuais vendas de Pastore, Draxler ou Di María.

Fonte: GloboEsporte

Responda