A imagem da capa do novo álbum de Lobão é uma espécie de Sgt. Pepper’s lonely hearts club band (1967) do rock brasileiro dos anos 1980. O notório desafeto Herbert Vianna está lá. Assim como Cazuza (1958 – 1990), Humberto Gessinger, Lulu Santos, Marina Lima, Paulo Ricardo, Renato Russo (1960 – 1996) – posicionado ao lado dos correlegionários Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá – Rita Lee (com Roberto de Carvalho) e Roger Moreira, entre outros ídolos daqueles tempos modernos. Tal como fez na capa do livro Guia politicamente incorreto dos anos 80 pelo rock (2015), Lobão expõe ilustrações de ícones do rock brasileiro da década de 1980 na capa do álbum duplo que lança em junho.

O disco se chama Antologia politicamente incorreta dos anos 80 pelo rock. Inspirado pelo livro quase homônimo que editou há três anos, o cantor, compositor e músico carioca aborda 24 sucessos dessa década de ouro do pop rock nacional – originalmente lançados entre 1980 e 1989 – no álbum gravado e assinado com a banda Os Eremitas da Montanha, quarteto formado por Armando Cardoso (bateria), Augusto Passos (baixo e voz), Christian Dias (guitarra) e Felipe Faraco (teclados).

Eis, em ordem cronológica, as 24 músicas regravadas por Lobão no álbum Antologia politicamente incorreta dos anos 80 pelo rock, o primeiro disco do artista como intérprete de músicas alheias:

1. Ôrra meu (Rita Lee, 1980)

2. Planeta água (Guilherme Arantes, 1981)

3. Vítima do amor (Evandro Mesquita, 1982)

4. Nosso louco amor (Júlio Barroso e Herman Torres, 1983)

5. Certas coisas (Lulu Santos e Nelson Motta, 1984)

6. Eu não matei Joana D’Arc (Marcelo Nova e Gustavo Mullen, 1984)

7. Geração coca-cola (Renato Russo, 1985)

8. Leve desespero (Fê Lemos, Flávio Lemos, Dinho Ouro Preto e Loro Jones, 1985)

9. Louras geladas (Paulo Ricardo e Luiz Schiavon, 1985)

10. Primeiros erros (Chove) (Kiko Zambianchi, 1985)

11. Nós vamos invadir sua praia (Roger Moreira, 1985)

12. Núcleo base (Edgard Scandurra, 1985)

13. Até quando esperar (Philippe Seabra, Gutge e André X, 1986)

14. Dias de luta (Edgard Scandurra, 1986)

15. Toda forma de poder (Humberto Gessinger, 1986)

16. Pânico em SP (Clemente Nascimento, 1986)

17. Eu sei (Renato Russo, 1987)

18. Virgem (Marina Lima e Antonio Cícero, 1987)

19. Esfinge de estilhaços (Lobão, 1988)

20. Quase um segundo (Herbert Vianna, 1988)

21. Somos quem podemos ser (Humberto Gessinger, 1988)

22. O tempo não para (Arnaldo Brandão e Cazuza, 1988)

23. Lanterna dos afogados (Herbert Vianna, 1989)

24. Azul e amarelo (Lobão, Cazuza e Cartola, 1989)

Fonte: G1

Responda