Nenhum jogador dos 16 clubes que disputaram a primeira divisão do Campeonato Paulista tem mais desarmes do que um dos reforços contratados pelo Palmeiras neste ano: Marcos Rocha roubou 44 bolas de seus adversários em 11 partidas disputadas na competição.

Atrás do lateral-direito, estão dois volantes: Alison, do Santos, e Bileu, do Linense, com 38 desarmes cada.

Os números, com base em levantamento do Footstats, têm surpreendido alguns torcedores do Atlético-MG, clube pelo qual o lateral-direito atuou durante seis temporadas e se destacou principalmente na parte ofensiva. Mas não surpreende o próprio jogador.

– Algumas pessoas falavam demais. As pessoas que trabalham para mim me dão meus números defensivos, ofensivos. Sempre tento equilibrar para ser um jogador regular. E sei das minhas qualidades, minha maneira de defender, de atacar. Sempre falei que o importante é ajudar a equipe a vencer, fazer meu melhor, e estou conseguindo fazer isso com a camisa do Palmeiras – diz.

No período em que vestiu a camisa do Atlético-MG, Marcos Rocha empilhou (e tatuou) taças. Os quatro títulos mineiros (2012, 2013, 2015 e 2017), a Libertadores de 2013, a Recopa Sul-Americana e a Copa do Brasil de 2014 estão desenhados em seu antebraço esquerdo.

– Deixei meu nome na história lá e vim para o Palmeiras para construir uma história, deixar meu nome marcado na história do clube também. Tenho certeza de que, com bastante trabalho, a gente tem a possibilidade de conseguir esse feito também – comentou o agora camisa 22, sem descartar uma tatuagem também pelo clube atual.
– Tenho mais espaço para tatuar algumas taças (risos). Tem espaço. Estou pensando primeiro em construir minha história, conseguir os títulos, dar alegria ao nosso torcedor. Depois, simbolizar e marcar no corpo.

Fonte: GloboEsporte

Responda