De reserva com Dorival Júnior a protagonista com Diego Aguirre. A história de Nenê no São Paulo teve uma reviravolta desde a demissão do antigo treinador. Sob o comando do uruguaio, o meia participou de todos os 15 jogos, se tornou vice-artilheiro do time, com seis gols, e virou o principal jogador da equipe, que segue como única invicta do Campeonato Brasileiro.

Aos 36 anos, Nenê se sente com 25, como disse na entrevista pós-vitória sobre o América-MG. O meia também está feliz pelo time ter reencontrado a paz na temporada, após duas eliminações, no Paulistão e na Copa do Brasil, e muita desconfiança, em especial nos clássicos.

– Estamos no caminho certo, não conquistamos nada ainda. Estamos a cada jogo nos entrosando mais. Temos consciência do time e do elenco que temos. Podemos conquistar coisas importantes nesta temporada – declarou o meia do São Paulo.

Se com Dorival Júnior, que não aprovou sua contratação, Nenê era apenas um coadjuvante, agora, com Aguirre, ele assumiu a liderança do elenco. Dentro e fora de campo. No episódio em que Diego Souza quase trocou o Tricolor pelo Vasco, o meia teve papel importante ao motivar o colega.

– Todo mundo está se doando ao máximo, o grupo está tendo uma união incrível dentro e fora de campo, quem joga e quem não joga – falou o camisa 7.

Autor de dois gols na vitória sobre o América-MG, domingo, em Belo Horizonte, Nenê prefere não se empolgar com a evolução do São Paulo, que está a apenas um ponto do líder Flamengo. Mas admite que o Tricolor tem mostrado que pode se consolidar na competição.

– Ainda mais em um campeonato muito equilibrado. Pelos resultados, poderia dizer que é um dos times mais consistentes. Mas é passo a passo – completou o meia.

O São Paulo volta a campo nesta quarta-feira, às 21h, no Morumbi, para encarar o Botafogo. Em casa, o Tricolor perdeu apenas uma partida na temporada.

Fonte: GloboEsporte

Responda