Shawn Mendes, John Mayer e Ed Sheeran estão entre os atuais queridinhos de Paula Fernandes. Eles são citados como referências: conseguem unir a modernidade com a simplicidade do violão. É isso que a cantora de 33 anos pretende mostrar em sua próxima turnê, “Jeans”.

Seria, então, uma fase mais pop? “Não necessariamente, sempre ouvi de tudo. Mas minha alma folk está aqui. Bem retratada nos arranjos. Eu gosto muito de pop. Mas por mais que tenha referências, sou criadora. Tem o momento mais romântico, mais pop, mais sertanejo. Sou uma representante da música popular brasileira com essência sertaneja”, define a cantora.

“Minha música é muito folk. Não perco minha raiz sertaneja, romântica. Eternamente, vou embalar muitos relacionamentos. E tem seus momentos de alegria”.
Troca de turnês
A nova turnê será no esquema dois em um: com o aumento ou redução no número de músicos de sua banda. O distanciamento das megaproduções é tendência no mercado sertanejo, que anos atrás não dispensava telas de LED e cenários grandiosos.

“Estamos vivendo a fase do minimalismo. É como se tivesse chegado a um ponto que naturalmente vai resgatando a essência das coisas e de um show. No meu caso, é o violão. Então, nada melhor do que empunhar um violão para me acompanhar”.

Menos babados, cabelo mais curto…
Em sua última turnê, Paula apareceu repaginada. Cortou o longo cabelo e aparou os babados e rendas das roupas que tanto chamavam a atenção e geravam memes. O novo visual se tornou mais clean, dentro e fora dos palcos.

“Essa transição aconteceu na turnê ‘Amanhecer’. Já sentia a necessidade de mudar. Mas tem que acontecer de dentro para fora. Nunca fui de ceder à opinião externa. Mudei cabelo, repaginei, fui para o lado do minimalismo, onde menos é mais. E fui limpando um pouco mais essa imagem”.

“Foi importante porque marcou. Hoje estou mais antenada na moda. Foi uma necessidade de buscar mais referência. E me amarrei nessa história. Ter acesso a isso foi importante, porque pude trazer essa Paula nova e me conhecer”.

Ela diz que vai mostrar sua nova fase mais “descolada e leve”:

“Fui vencendo meus complexos, como qualquer mulher tem. Me gosto mais como sou. Dizem que quando você faz 30 anos é assim. Você vira a página. Acho que virei a página. O importante é não se importar com julgamento dos outros. Estou me gostando muito mais”.

Fonte: G1

Responda