Uma operação da polícia e do Corpo de Bombeiros localizou nesta sexta-feira (9) os corpos das três jovens que foram decapitadas em uma área de mangue no limite entre as cidades de Fortaleza e Caucaia, no Ceará. Os corpos estavam enterrados em um buraco no mangue do Rio Ceará, em Fortaleza, perto do local das mortes.

Três homens foram presos e um adolescente, apreendido. Dos quatro, apenas um confessou ter presenciado os homicídios e a ocultação dos corpos, mas negou uma participação efetiva, segundo informou a polícia.

A Secretaria de Segurança Pública do Ceará informou que a polícia conseguiu identificar um quinto suspeito, que está foragido. De acordo com a polícia, é um homem de 19 anos. Ele conseguiu fugir do Parque Leblon antes da chegada das equipes policiais. A polícia também solicitou a prisão preventiva do rapaz à Justiça.

Na quinda-feira (8), o governador do Ceará, Camilo Santana, cobrou empenho na busca pelos cadáveres e classificou o crime como “lamentável”.

“É lamentável qualquer tipo de agressão, muito mais às mulheres. Minha determinação é de buscar [os corpos] com todo o empenho da polícia, na identificação, apuração e punição dos criminosos que cometem qualquer delito contra mulheres no Ceará”, afirmou Camilo Santana.

Criminosos filmaram crime
Os próprios criminosos filmaram a tortura e o assassinato das jovens. Em um dos vídeos, um homem aponta a arma para uma mulher e a obriga a “rasgar a camisa”, gíria utilizada por membros de facção para dizer que vai abandonar uma organização criminosa. Em seguida o homem atira na vítima enquanto ela implorava para não ser assassinada.

Segundo o 7º Distrito Policial, responsável pelas investigações, há suspeita de que uma briga de facções criminosas teria motivado o crime.

Fonte: G1

Responda