Basta pisarem fora do hotel em que estão hospedados para os jogadores do Palmeiras ouvirem cobranças de torcedores em Buenos Aires. Poucos torcedores, é verdade, mas que têm feito barulho e causado surpresa por parte da delegação que viajou para o duelo com o Boca Juniors.

A maioria dos palmeirenses, tanto aqueles na capital argentina quanto os que lançaram campanha em apoio a Dudu nas redes sociais, entendem que o momento é de incentivar. Até porque uma vitória ampliaria a liderança no Grupo 8 da Libertadores e garantiria classificação antecipada ao mata-mata.

Mas a pressão da minoria, que se fez presente em frente ao hotel e do lado de fora do estádio no trabalho de reconhecimento do gramado, mexeu com o grupo internamente.

A recente perseguição a Dudu levou os atletas a ficarem ainda mais próximos. Na terça-feira, primeiro dia de concentração na Argentina, o grupo estendeu consideravelmente o período de convivência fora dos quartos após o almoço no hotel.

Contribuiu para isso também a visita de Cristaldo, ex-jogador do Palmeiras e atualmente sem clube. O atacante argentino, sempre bem-humorado, foi ao local para rever amigos e ajudou a descontrair o ambiente do início da tarde à saída para o treinamento.

A diretoria também tem agido para tranquilizar o elenco. Depois de ter perdido o título paulista para o Corinthians e de dois empates, a equipe treinada por Roger Machado voltou a vencer no último domingo, quando fez 1 a 0 no Internacional, com gol de Dudu.

Fonte: GloboEsporte

Responda