Especialistas de segurança da Evonide identificaram uma falha no Chrome e no Firefox que permitia a alguns sites “roubarem” algumas informações do perfil do usuário no Facebook. Esses dados não incluíam informações sensíveis, mas apenas fotos de perfis e nomes de usuário.

“Eles foram muito, muito rigorosos. Neste ano isso chegou a um patamar absurdo. Nós pegamos os roteiros e só os vemos digitalmente. Depois, quando filmamos a cena, eles simplesmente desaparecem. É como Missão Impossível: ‘isso vai se autodestruir’”, disse Coster-Waldau, em entrevista ao Elite Daily, durante sua recente passagem pelo Festival de Cannes.

Ao que parece, a HBO deve ter trocado o sistema comum por alguma plataforma corporativa com acesso remoto em nuvem ou algo do tipo. Além disso, rumores afirmam que foram gravados vários finais alternativos e cenas falsas a mais, justamente para despistar qual o conteúdo a ser exibido — Coster-Waldau nega que hajam versões alternativas dos textos e que há apenas um e verdadeiro roteiro.

De qualquer forma, as medidas parecem tem funcionado melhor do que nos anos anteriores, pois até agora chegaram ao público apenas poucos detalhes de alguns episódios — diferente do que vem acontecendo desde a quinta temporada, quando começaram os maiores problemas, com descrições completas, inclusive das season finale.

Aliás, Coster-Waldau também falou um pouco sobre o encerramento da história. “Terminamos na direção certa e o show termina em seus próprios termos. Quando li os roteiros da última temporada, fiquei, tipo, ‘uau, eles conseguiram’. É uma história da primeira à nona temporada, faz sentido”, disse. Como dá para notar ele citou uma nona temporada, mas deve ter se confundido, afinal, Game of Thrones vem sendo gravado desde 2009 e conhece seu aguardado fim em 2019, completando uma década na TV.

Fonte: G1

Responda