Steven Spielberg, que já trouxe pérolas como “Indiana Jones”, “Tubarão”, “Jurassic Park”, entre outros, está em campanha de lançamento do seu mais novo longa, “Jogador Nº 1”, aventura que coloca os protagonistas em uma disputa na realidade virtual com direito a uma surra de referências à cultura pop. E, durante entrevista para a ITV News, o cineasta falou sobre um assunto polêmico: para ele, os filmes produzidos por serviços de streaming como a Netflix ou a Amazon não devem disputar o Oscar porque não estariam à altura da maior premiação da Sétima Arte.

O diretor não vê com bons olhos a enxurrada de títulos e opções de produtos semelhantes para o entretenimento doméstico, já que, segundo ele, isso afasta o público das salas de cinema e de certa forma diminui a competitividade entre os artistas de vanguarda — que, ao invés de buscar por experimentações a partir de iniciativas com captação de verba independente, estariam sendo “achatados” em nível de qualidade inferior.

“Cada vez menos cineastas vão se esforçar para levantar dinheiro ou para competir no (festival) Sundance — ou conseguir que pequenos estúdios especializados lancem seus filmes nos cinema. E cada vez mais deles vão deixar que as empresas de streaming por demanda os financiem — talvez com a promessa de uma pequena janela de exibição nos cinemas, por uma semana, apenas para qualificarem seus trabalhos para o Oscar”, projeta.

Para ele, se foi feito para streaming, não deve competir como obra para grandes salas de exibição. “Quando você se compromete com um formato de televisão, então você tem um filme para televisão. Ele pode merecer um Emmy, mas não um Oscar. Não acho que as produções que acabam de receber qualificações simbólicas, em menos de uma semana em exibição em uma sala de cinema, devam se qualificar para as indicações da Academia.” Veja também: 15 grandes novidades previstas para abril na Netflix Brasil

E você, o que acha disso? Lançamentos “para TV” da Netflix devem concorrer ao Oscar ou ao Emmy? Confira a entrevista de Spielberg abaixo e deixe sua opinião nos comentários.

Fonte: TecMundo

Responda